Emoção e revolta marcam sepultamento da pequena Ísis Helena

0
1359
Rafael e bisavó de Ísis
Rafael e bisavó de Ísis (Foto: Reprodução)

Após quase 2 meses, Ísis Helena foi encontrada. Porém, não da forma como todos queriam. A pequena criança, de 2 anos, está morta e seu corpo foi sepultado na tarde desta quarta-feira (29), em Itapira.

Ísis Helena morreu no dia 02 de março. Sua mãe, Jennifer Natália Pedro, em um ato covarde, enterrou sua filha às margens do Rio do Peixe e, durante todo esse período, viveu com mentiras e enganou as autoridades.

Após confessar o crime, Jennifer continuou sua saga de mentiras, com o intuito de enganar as autoridades locais. A mãe, inicialmente, narrou que havia jogado a filha no Rio do Peixe. Com a informação, as equipes de buscas passaram uma semana procurando por vestígios da pequena criança. Sem êxito, pois, a criança estava enterrada às margens do rio.

Na terça-feira (28), Jennifer resolveu dar outro depoimento e, finalmente, contar a verdade. A mãe pediu para indicar o local onde havia deixado o corpo da sua filha. Com autorização judicial, ela se deslocou da Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu e foi até o local onde abandonou o corpo de Ísis Helena.

Como já estava tarde, as equipes de buscas não conseguiram encontrar o corpo de Ísis Helena. O trabalho continuou nesta quarta-feira (29), o dia em que o cadáver da pequena criança foi encontrado.

Jennifer Natália Pedro está presa e agora é acusada por homicídio doloso, ocultação de cadáver e falsa comunicação de crime.

O sepultamento

O enterro do corpo de Ísis Helena foi marcado por muita emoção. Estava presente familiares, amigos e pessoas que acompanharam o caso.

Voluntários enviaram flores para Ísis Helena
(Foto: Redes Sociais)

Rafael Schotten, pai de Ísis Helena, carregou o caixão da viatura de funerária até o túmulo. O pai da criança, em um gesto muito nobre, acompanhou a bisavó materna até a despedida final. Com certeza, um dos momentos mais emocionantes da cerimônia.

Ísis também recebeu flores de voluntários, que ajudaram nas buscas durante os 59 dias de aflição da família e amigos.