Cemig reforça vínculo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

0
215
A Cemig contribui para os objetivos sustentáveis da ONU, ao manter reservas naturais, onde vivem espécies ameaçadas como o lobo-guará
A Cemig contribui para os objetivos sustentáveis da ONU, ao manter reservas naturais, onde vivem espécies ameaçadas como o lobo-guará (Foto: Cemig/Divulgação)

Em comemoração ao Dia do Meio Ambiente, 5 de junho, a Cemig apresenta o seu Relatório Anual de Sustentabilidade (RAS) da Cemig, disponível no endereço http://www.cemig.com.br/RAS/relatorio2019. O relatório foi elaborado com base na metodologia Global Reporting Initiative (GRI) e apresenta informações sobre o desempenho da Cemig no conjunto de suas operações, principalmente considerando os fatores que possam contribuir para a sustentabilidade da companhia nas dimensões econômica, social e ambiental.

Para reduzir o consumo de materiais e insumos, o documento possui apenas versão digital com informações de toda a corporação referentes ao período de janeiro a dezembro do ano passado. “O principal objetivo do RAS é contribuir para promover o diálogo transparente da Cemig com as suas partes interessadas. O processo de construção do RAS permite às diferentes áreas da empresa reunir informações e dados que demonstram a evolução da gestão daqueles aspectos, bem como analisar fatos que influenciaram o desempenho da companhia no período”, explica o gerente de Sustentabilidade da Cemig, Adiéliton Galvão de Freitas.

O relatório reflete a análise dos impactos causados pelas operações da companhia na sua cadeia de valor, com a identificação das principais fragilidades, pontos de melhoria e melhores práticas, a partir de entrevistas com especialistas das áreas, questionários e workshop com a liderança, além de análise detalhada das políticas e diretrizes internas da companhia.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU

Essa análise nasce também de um olhar da empresa para fora, de forma a identificar tendências, riscos, ameaças e oportunidades que possam afetar a Cemig. Para isso, foram analisadas fontes de informação, metodologias internacionais, ratings de sustentabilidade, benchmarking com empresas de referência em sustentabilidade e do setor elétrico e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Os ODS são 17 metas globais, estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), e integram a Agenda 2030, trabalho conjunto de governos e cidadãos de todo o mundo para criar um novo modelo global para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem estar de todos, proteger o meio ambiente e combater as alterações climáticas.

A Cemig, por ser a maior distribuidora de energia elétrica do Brasil em extensão de linhas e redes, compreende e prioriza ações de minimização de riscos de desligamentos e interrupções de energia, fazendo o manejo sustentável da vegetação e a gestão dos habitats terrestres. Dessa forma, a companhia está contribuindo para o cumprimento do Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 15 da ONU: “proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda da biodiversidade”.

Também em cumprimento ao ODS 15, em 2019, foram plantados 100 hectares de vegetação – além da manutenção em 60 hectares – e 10.600 mudas e construídos 52 quilômetros de cercas em voltas de nascentes e áreas protegidas. Com objetivo de promover conservação da biodiversidade, a Cemig mantém algumas áreas de remanescentes florestais de elevado grau de conservação e relevância para os biomas onde estão inseridas, como a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN)Fartura, localizada em Capelinha (Norte de Minas), a RPPN Galheiro, em Perdizes (Triângulo), e a Estação Ambiental de Peti, inserida nos municípios de Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo (região Central de Minas).  Entre as espécies ameaçadas de extinção identificadas nessas áreas, destacam-se a onça-pintada, a onça-parda, o lobo-guará, a jaguatirica, o macaco-guigó ou sauá, o tamanduá-bandeira, o pica-pau-rei e o pavó ou pavão-domato. Quatro espécies identificadas são novas para a ciência, dentre elas a libélula que recebeu o nome científico de Heteragrion petiense, e a árvore de canela, Licaria triplicalyx.

No ano passado, foi criada a Cemig S!M, uma empresa que atua prestando serviços de geração distribuída, de energia elétrica, através de fazendas solares instaladas no Estado de Minas Gerais, oferecendo ainda soluções em eficiência energética, armazenamento de energia e mobilidade elétrica, já com investimentos em 2019 próximos a R$ 300 milhões. Além disso, a única usina movida a óleo combustível está sendo desativada, e a energia gerada pela Cemig será 100% de fontes renováveis. Isso vai contribuir para o cumprimento do ODS 7: “assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia, para todos.”

Com 100% de sua energia gerada de fontes renováveis, principalmente hidrelétricas, a gestão de recursos hídricos é primordial para a operação da Cemig. Desde o ano passado, a comunidade, a imprensa, os gestores públicos e o público em geral podem acompanhar, em tempo real, os níveis dos reservatórios da Cemig por meio de um aplicativo no celular “Proximidade”. Nele estão disponíveis informações sobre as usinas, como níveis de acumulação, vazão afluente (o que chega à usina) e vazão defluente (o que sai da usina, seja pelas turbinas ou pelas comportas). Esse aplicativo está disponível para os sistemas operacionais Android e IOS. A ferramenta permite uma comunicação mais efetiva com a comunidade por meio de cadastramento georreferenciado pelo dispositivo móvel do usuário.

Pela plataforma web, os órgãos de proteção e defesa civil têm acesso à visualização e impressão de mapas em diferentes escalas e tipos, tais como foto de satélite, guia de ruas e mapa de terreno, além do envio de alertas para áreas selecionadas. Esse é mais um exemplo de como a Cemig está contribuindo para o cumprimento do ODS 6: “assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos”.

O impacto da gestão ambiental e da ecoeficiência para a sustentabilidade, para a mudança do clima e para o desempenho econômico do negócio tem também grande interesse para a Cemig, única companhia de eletricidade não-europeia listada no Índice Dow Jones de Sustentabilidade desde sua criação, em 1999. A empresa também faz parte das carteiras de ISE B3 e ICO2, da bolsa de valores de São Paulo. Com 8,5 milhões de clientes em sua área de concessão, a Cemig, por meio do Programa de Eficiência Energética, investiu R$ 86 milhões, no ano passado, em ações de consumo consciente. Também foi aprovado o orçamento de R$ 457 milhões para os próximos cinco anos para investimento exclusivo em ações de eficiência energética. Essas ações contribuem para o cumprimento do ODS 13: “tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos”.

Esses são apenas alguns exemplos. Outras ações da Cemig que estão vinculadas ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU na área ambiental podem ser consultadas no Relatório Anual de Sustentabilidade.