Candidato a prefeito Henrique Wolf é indiciado pela Polícia Civil

0
371
Henrique Wolf
Henrique Wolf

A Polícia Civil de Minas Gerais indiciou o candidato a prefeito de Ouro Fino, Henrique Wolf, seu vice-candidato, João Giordani Neto, o assessor Donis Almeida Couto e João Batista Messias por supostos crimes cometidos contra Bruno Zucareli, também candidato a prefeito no município.

De acordo com a conclusão do Delegado de Polícia Civil, Igor Curvello Grimaldi, Donis de Almeida Couto protocolou denuncia na Câmara Municipal de Ouro Fino, com o objetivo de instaurar uma CPI para investigar possíveis crimes cometidos por Bruno Zucareli no período em que foi Diretor do DMAAE.

A denuncia só aconteceu porque o candidato a prefeito, Henrique Wolf, mencionou, em um áudio vazado com Juninho Vieira, a necessidade de se tomar alguma providência através de uma CPI na Câmara Municipal de Ouro Fino. “A pratica de crime de que sabe inocente, a fim de conturbar o período eleitoral”, mencionou o Delegado de Polícia.

João Giordani e João Batista Messias também foram indiciados, já que os dois teriam imputado falsamente fato definido como crime, dando conta que Bruno Zucareli teria cometido crimes junto ao DMAAE. A ação também foi classificada como uma tentativa de conturbar o período eleitoral.

Diante disso, todos os quatro envolvidos foram indiciados pela Polícia Civil. João Giordani Neto e João Batista Messias no Art. 324 do Código Eleitoral, que prevê o seguinte:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é cats.jpg
Fonte: JusBrasil

Caso a denuncia prossiga, João Giordani Neto poderá ter sua candidatura impugnada por cometimento de crime eleitoral. O candidato, assim como João Batista Messias, também poderá ser preso, com pena de seis meses a dois anos.

Já Henrique Wolf e Donis Almeida do Couto foram indiciados no Art. 326-A do Código Eleitoral, que prevê o seguinte:

Fonte: JusBrasil

Se a denúncia prosseguir, Henrique Rossi Wolf poderá ter sua candidatura impugnada por cometimento de crime eleitoral. O candidato, assim como o assessor Donis Almeida do Couto. Se condenados, os envolvidos poderão cumprir a pena de reclusão, de 2 a 8 anos, e multa.

O Observatório de Ouro Fino entrou em contato com o advogado de campanha da chapa, às 11h48 do dia 26-10-20. No entanto, até a publicação desta matéria não tivemos nenhum retorno. Em caso de resposta, atualizaremos essa nota.

Também entramos em contato com Donis Almeida do Couto, que afirmou que consultaria o jurídico e retornaria. Até o momento, o retorno não foi dado ao Observatório de Ouro Fino. Em caso de resposta do assessor, também atualizaremos essa nota.