Cabo eleitoral de Henrique Wolf se defende após episódio com filha de Toninho Franceli

0
276
Ivo Guilherme Costa
Ivo Guilherme Costa (Foto: Redes Sociais)

Ivo Guilherme Costa, cabo eleitoral de Henrique Wolf, gravou um vídeo em seu Facebook se defendendo, após ter sido citado no vídeo do candidato Bruno Zucareli.

“No vídeo que ele fez, ele me acusa de assédio, que a gente fez denúncia contra ele. Quero deixar claro que a todos, em primeiro lugar, não fizemos nenhuma denuncia, simplesmente, recebemos várias denuncias e fomos averiguar”, disse Ivo Guilherme.

Além disso, Ivo ainda revela que, ao chegar no local, nada de ilícito foi encontrado. “Não registramos boletim de ocorrência, pois vimos que não havia nada de errado até o momento que chegamos”, revela Ivo Guilherme.

“Estamos trabalhando em cima de denúncias, não é nada que tiramos da cabeça, nada mirabolante. Simplesmente está tendo muita denuncia para gente de compra de votos. Não fomos como cabo eleitoral, fomos como cidadãos para fiscalizar”, finaliza Ivo Guilherme.

Entenda a história

Na última quinta-feira (29), Lívia Franceli, filha de Toninho Franceli, havia levado sua tia ao médico e aproveitou para fazer compras. Ao chegar na casa de sua tia Cleide, a mesma começou a descarregar os produtos do seu carro.

Enquanto retirava as compras do seu veículo, um carro branco parou um pouco à frente da residência de D. Cleide e uma pessoa, identificada como Ivo Guilherme Costa, tirou fotos de Lívia Franceli.

Dentro do carro branco estava Ivo Guilherme Costa, Daniel e Cícero, cabos eleitorais de Henrique Rossi Wolf. De acordo com a versão de Ivo Guilherme, os três foram até o local para averiguar um possível crime eleitoral de compra de votos, utilizando cestas básicas, praticado pela filha do candidato a vice-prefeito, Toninho Franceli.

A Polícia Militar de Ouro Fino compareceu até o local para verificar a denuncia dos cabos eleitorais, e, através de imagens de câmeras de segurança, nota fiscal apresentada por Lívia Franceli, foi constatado que não houve compra de votos no local.