Mortes por síndrome respiratória aumentam 360% durante a pandemia em Minas Gerais

0
409
Leitos de Hospital
Leitos de Hospital

Minas Gerais teve um aumento de 360% de mortes causadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) desde 8 de março, quando a Secretária de Estado de Saúde (SES) registrou o primeiro caso da Covid-19, até esta segunda feira (27). Os dados sobre o aumento são da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpem Brasil).

Segundo a Arpem Brasil, na mesma época do ano passado ocorreram 23 mortes por SRAG. Neste ano, nesse intervalo de tempo, os óbitos são de 106. Não se pode, contudo, garantir que esse acréscimo é um indício de subnotificação das vidas perdidas pela Covid-19.

O aumento em Minas está menor em comparação a outros estados. Em Pernambuco, por exemplo, o crescimento percentual das mortes por SRAG é de 6.357% – o maio do país.

De acordo com levantamento, o aumento das hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave é ainda maior que o de mortes trazidos pelos cartórios, 477% em relação a 2019. Foram 5.371 internações pela doença em 2020 contra 931 no ano passado.

Segundo a Arpem Brasil, são 143 óbitos nessas condições em Minas Gerais. A Saúde estadual registra 62 mortes confirmadas pela doença e 98 em investigação. Na soma, o contingente é maior que o apurado pelos cartórios: 160.