Por que o Museu de Arte Sacra de Ouro Fino foi desativado? O que foi feito do seu acervo?

0
455

O Museu de Arte Sacra de Ouro Fino foi inaugurado na data de 4 de outubro de 1998 com o objetivo de inventariar, restaurar e expor todo o patrimônio artístico Sacro da Paróquia de São Francisco de Paula, o mesmo, era pioneiro do gênero na região e integrava o roteiro turísticos dos museus do Sul de Minas. Infelizmente há aproximadamente 4 anos o Museu foi desativado, o seu CNPJ foi dado baixa no Cadastro Nacional dos Museus. Seu acervo pode ser encontrado em uma sala ao fundo da Igreja Matriz, onde as visitas podem ser realizadas através de agendamento prévio com a parte administrativa da Igreja que está localizada no Centro Pastoral João Paulo II.

O Observatório de Ouro Fino procurou a administração da Igreja para saber o motivo que levou a desativação do Museu, que era único na região e atraía milhares de turistas para o município. Conforme informado pelas funcionárias Dalila de Jesus Lopes e Maria Regina Oliveira Goulart o museu não possuía acessibilidade para visitantes portadores de deficiência, pois, o mesmo funcionava na parte de cima da Igreja, conhecida como Coro e também, a Diretoria do Museu da época se desfez, o que dificultou a continuidade do Museu.

Devido aos motivos informados do fechamento do Museu não serem muito plausíveis, levando em consideração a importância de um Museu de Arte Sacra para o município de Ouro Fino, o qual está inserido na rota do Caminho da Fé, o mesmo, apesar dos motivos apresentados pela administração da Igreja poderia estar aberto até hoje, mesmo que fosse com uma Diretoria diferente e adaptado para acessibilidade, que é de extrema importância.

O Observatório de Ouro Fino também procurou a ex Diretora do Patrimônio Histórico e Artístico do Museu de Arte Sacra Sandra Luz, que nos informou que o Museu havia recebido a Carta de Utilidade Pública Estadual, documento este, de extrema importância para reconhecimento de um Museu. Sandra, nos informou também que no livro de visitantes do museu haviam mais de 10 mil assinaturas. De acordo com Sandra Luz, o Museu recebia o ICMS cultural, pois, era inventariado e suas obras cadastradas, com isso, mais verbas eram destinadas ao município.

Cabe ressaltar que, obras importantes como os “Anjos Guardiões” do artista Marino D’el Fávero foram restauradas pela Comissão do Museu de Arte Sacra. Essas esculturas faziam parte da antiga estrutura do altar da Capela do Santíssimo e estavam tomadas por cupins e foram pintadas de forma imprópria, descaracterizando os traços do artista italiano. Essas esculturas foram restauradas pela especialista Fernanda Tozzo Machado e supervisionada pela ex Diretora do Patrimônio Histórico do Museu Sandra Luz.

Contudo, diante do exposto, fica clara a importância de um Museu de Arte Sacra em Ouro Fino, que possui como objetivo a divulgação do acervo para a comunidade, estimular a conservação de obras artísticas, realizar o intercâmbio entre o Museu de Arte Sacra e outras instituições, como, visitas guiadas de escolas do município e promover o turismo religioso.

Responda

Please enter your comment!
Please enter your name here